Precisamos falar sobre o privilégio magro

Essa semana a Ellen (@atleta_de_peso) fez uma publicação sobre o quão privilegiadas são as pessoas magras. Um perfil republicou a frase e nos comentários choveram relatos de mulheres dentro do padrão falando que não concordavam com o texto e dizendo o quanto sofreram por conta da pressão estética. Sim, o sofrimento e raiva são totalmente legítimos!

Mas vocês precisam abrir mão do privilégio e entender que as coisas complicam ainda mais quando o seu corpo não está no padrão! Não, não é uma ‘disputa’ por quem sofre mais. Cada um sabe de suas dores. Mas vocês precisam reconhecer de uma vez por todas que pessoas gordas, além dos direitos e oportunidades negadas diariamente, sofrem por conta do preconceito velado. A negação de direitos e a repulsa pelo corpo gordo é chamada de gordofobia.

Imagine aí se, além de tudo o que você passa com a pressão estética, você ainda tivesse mais direitos negados? Se você tivesse que deixar de frequentar lugares porque já sabe que as cadeiras e espaços não foram feitos pra você? Se quando você fosse ao médico tudo que você sentisse fosse atribuído ao seu corpo? Se você fosse negligenciada nos hospitais apenas por conta de seu corpo?

Pessoas magras passam nas roletas dos ônibus e nas catracas das universidades, empresas e prédios. Pessoas magras podem comprar roupas… Mesmo que não caibam, é mais fácil apertar do que acrescentar pano. Pessoas magras não precisam ficar com medo de comer na frente dos outros e ter alguém prestando atenção na sua comida. Magros têm seus corpos representados nas mídias de forma geral.

O mundo está preparado para atender pessoas magras e suas demandas! Roupas, espaços, automóveis, lazer, políticas públicas… Tudo! Não tenho dúvidas que você, magro, pode ter dores e problemas de imagem ligados ao seu corpo. A estrutura patriarcal machista faz com que todes estejamos insatisfeitos. Mas também é necessário ter empatia e reconhecer privilégios! Só assim podemos mudar um pouco a sociedade…

View this post on Instagram

PRECISAMOS FALAR SOBRE O PRIVILÉGIO MAGRO! • Essa semana a Ellen (@atleta_de_peso) fez uma publicação sobre o quão privilegiadas são as pessoas magras. Um perfil republicou a frase e nos comentários choveram relatos de mulheres dentro do padrão falando que não concordavam com o texto e dizendo o quanto sofreram por conta da pressão estética. Sim, o sofrimento e raiva são totalmente legítimos! Mas vocês precisam abrir mão do privilégio e entender que as coisas complicam ainda mais quando o seu corpo não está no padrão! Não, não é uma ‘disputa’ por quem sofre mais. Cada um sabe de suas dores. Mas vocês precisam reconhecer de uma vez por todas que pessoas gordas, além dos direitos e oportunidades negadas diariamente, sofrem por conta do preconceito velado. A negação de direitos e a repulsa pelo corpo gordo é chamada de gordofobia. Imagine aí se, além de tudo o que você passa com a pressão estética, você ainda tivesse mais direitos negados? Se você tivesse que deixar de frequentar lugares porque já sabe que as cadeiras e espaços não foram feitos pra você? Se quando você fosse ao médico tudo que você sentisse fosse atribuído ao seu corpo? Se você fosse negligenciada nos hospitais apenas por conta de seu corpo? Pessoas magras passam nas roletas dos ônibus e nas catracas das universidades, empresas e prédios. Pessoas magras podem comprar roupas… Mesmo que não caibam, é mais fácil apertar do que acrescentar pano. Pessoas magras não precisam ficar com medo de comer na frente dos outros e ter alguém prestando atenção na sua comida. Magros têm seus corpos representados nas mídias de forma geral. O mundo está preparado para atender pessoas magras e suas demandas! Roupas, espaços, automóveis, lazer, políticas públicas… Tudo! Não tenho dúvidas que você, magro, pode ter dores e problemas de imagem ligados ao seu corpo. A estrutura patriarcal machista faz com que todes estejamos insatisfeitos. Mas também é necessário ter empatia e reconhecer privilégios! Só assim podemos mudar um pouco a sociedade… #GordofobiaéProblemaDeTodos

A post shared by NAIANA RIBEIRO ✨ AMOR PRÓPRIO (@itsnaiana) on

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *