‘Estou cagando e andando para o conservadorismo’, diz Pabllo Vittar

Após lançar seu primeiro disco, Vai Passar Mal, a drag queen Pabllo Vittar não só virou assunto em todo o país com agudos empoderados, como alcançou o topo das paradas globais com vários hits e fechou o ano de 2017 com cerca de 130 shows por todos os cantos do Brasil. Nascido em São Luís do Maranhão, o homem gay Phabullo Rodrigues da Silva, 23 anos, está colhendo os frutos da sua ascensão meteórica ao sucesso e, nocauteando o preconceito, consolida sua personagem artística – Pabllo Vittar – com o segundo álbum da carreira, Não Para Não, lançado no início do mês.

Continue lendo “‘Estou cagando e andando para o conservadorismo’, diz Pabllo Vittar”

Cinco filmes para refletir sobre a ditadura da beleza e amor-próprio

O maior serviço de streaming do mundo, a Netflix, lançou no mês passado o original Sierra Burgess é Uma Loser. O filme tem dividido opiniões porque, apesar de ter uma protagonista gorda – interpretada pela atriz Shannon Purser – muita gente pensa que o enredo possui falhas sérias e não promove o amor próprio e a confiança.

Em tempos de empoderamento feminino, movimento body positive e luta contra os preconceitos, separamos cinco filmes que têm uma mensagem bacana nesse sentido e que questionam a ditadura da beleza e/ou falam sobre amor-próprio. Prepare a pipoca!

Continue lendo “Cinco filmes para refletir sobre a ditadura da beleza e amor-próprio”

Alexandra Gurgel questiona padrões e defende a aceitação em seu primeiro livro

Muito provavelmente você está ou já esteve, alguma vez na vida, insatisfeito com o seu corpo. Se você é mulher, a pressão estética para alcançar um determinado padrão é maior: segundo pesquisa do Royal Society for Public Health, do Reino Unido, 90% das meninas de 14 a 24 anos se sentem infelizes com seus corpos e pensam em mudar a própria aparência, cogitando, inclusive, procedimentos cirúrgicos. Os efeitos da sociedade patriarcal e machista na qual vivemos são ainda mais cruéis com as pessoas gordas, que enfrentam diariamente o preconceito (gordofobia) e tentam se encaixar em um padrão de beleza inalcançável.

Até a atriz Bruna Marquezine – que serve de inspiração para muita gente como modelo de beleza – revelou na última semana que passou a vida sendo vítima de humilhação corporal (body shaming) e já sofreu com distúrbio de imagem e depressão. Essas são apenas algumas das consequências perigosas da não aceitação, que incluem também bullying, isolamento, insegurança, sedentarismo, compulsão alimentar, bulimia, baixa autoestima, síndrome do pânico, ansiedade generalizada, negligência médica, automutilação, tentativa de suicídio, entre outras.

Continue lendo “Alexandra Gurgel questiona padrões e defende a aceitação em seu primeiro livro”

Nova série da Netflix é acusada de gordofobia e vira polêmica

A Netflix causou a ira de muita gente ao redor do planeta – e olha que foi com uma série que nem mesmo estreou! Após ter seu trailer divulgado, Insatiable foi acusada de gordofobia.

O programa é estrelado por Debby Ryan, uma ex-estrela da Disney (protagonista de Jessie e do filme 16 Desejos). Ela interpreta Patty, uma garota gorda que é vítima de bullying na escola. Após quebrar a mandíbula durante o Verão, a garota emagrece e resolve se vingar de todo mundo que a fez sofrer.

Continue lendo “Nova série da Netflix é acusada de gordofobia e vira polêmica”

Thaís Carla e Tatiana Lima deram um show com Anitta no Rock in Rio Lisboa

O Palco Mundo do Rock in Rio Lisboa recebeu no domingo (24 de junho) a cantora Anitta. A brasileira deu o que falar em sua apresentação. Chegou logo vestida com um look Dolce & Gabbana inspirado em Carmen Miranda – cheia de lantejoulas douradas dos pés à cabeça – e fez o público enlouquecer no primeiro final de semana do evento.

Continue lendo “Thaís Carla e Tatiana Lima deram um show com Anitta no Rock in Rio Lisboa”

Jessie J emociona no clipe de Queen com mulheres poderosas e diversas

Se você ainda não viu ao clipe de Queen – lançado há uma semana por Jessie J – pare tudo o que estiver fazendo e assista agora, sério. A princípio, o que mais parece um vídeo egocêntrico – com show de poses e carões por parte da artista – se transforma em um verdadeiro espetáculo de diversidade.

Lançado no ano passado, o single fala de amor próprio (veja tradução abaixo). O vídeo ilustra bem a canção, que busca o empoderamento feminino a partir de aumento da autoestima (“eu amo meu corpo, amo minha pele, eu sou uma deusa, sou uma rainha”, diz o refrão).

Continue lendo “Jessie J emociona no clipe de Queen com mulheres poderosas e diversas”